Reabilitação e construção em madeira

A aplicação estrutural de madeira tem vindo a ganhar relevância, não só em Portugal mas um pouco por todo o mundo. Nos últimos anos surgiram tecnologias que permitem que a madeira seja usada, quase sem limites, no setor da construção; exemplo claro desta realidade são edifícios como o Earth Science Building em zona Sísmica na Colúmbia Britânica, no Canadá.

Apesar disso, a reabilitação continua a ser uma vertente muito relevante no campo da aplicação estrutural de madeira. Neste âmbito importa realçar dois conceitos distintos, reabilitação de estruturas de madeira e reabilitação com estrutura de madeira. A reabilitação de estruturas existentes de madeira constitui o grande mercado da reabilitação, no entanto a reabilitação de estruturas de outros materiais, recorrendo a soluções em madeira, vem ganhando terreno, consequência natural das características das mesmas, como a rapidez de construção, a sustentabilidade ou o baixo nível de peso próprio, muito relevante em intervenções no topo de edificações em altura.

Na reabilitação de estruturas de madeira existentes, o primeiro (em muitos casos o maior) desafio é a avaliação do existente. Este diagnóstico envolve operações de grande complexidade e sensibilidade, que em muitos casos condicionam de forma decisiva o sucesso ou insucesso de toda a intervenção. Intimamente relacionada com esta fase, surge a necessidade de garantir uma correta durabilidade após a intervenção, daí que uma adequada conceção e definição de tratamentos sejam essenciais, ou não fosse a madeira um material natural e amigo do ambiente.

Nos próximos anos é de esperar que o mercado da reabilitação de estruturas de madeira continue a desenvolver-se ativamente, acompanhando a dinâmica de reabilitação dos centros históricos, dos núcleos urbanos nacionais. Essa tendência vai ser complementada com ferramentas e meios que permitirão uma outra eficácia de intervenção. Neste particular, destaca-se naturalmente a formação de técnicos, com a crescente oferta, de que são exemplo as várias edições de grande sucesso do Mestrado de Reabilitação de Edifícios da Universidade de Coimbra.

Por outro lado está atualmente a ser desenvolvido um conjunto de normas para análise e verificação de segurança de estruturas existentes, que permitirão dar um salto qualitativo, bastante significativo a este nível. A publicação da versão final destes documentos está prevista para o momento da publicação das novas versões do Eurocódigo, presumivelmente entre 2020 e 2022. Atualmente, já está publicado o documento base sob a forma de Especificação Técnica, o qual irá ser complementado com um conjunto de documentos específicos para os vários materiais estruturais, integrado na lógica dos atuais Eurocódigos Estruturais. A um outro nível está a ser preparada uma especificação técnica sobre Estruturas mistas madeira-betão, a qual complementará as atuais 3 partes do Eurocódigo 5, estando previsto que venha a ser uma nova parte desse regulamento. Este aspeto revela-se de grande importância, pois trata-se de uma das formas mais eficientes de reabilitação de pavimentos de madeira, que constituem uma parte significativa das estruturas de madeira existentes em Portugal.

Esta edição especial da Revista Construção Magazine é, por todas estas razões, muitíssimo oportuna e o seu conteúdo procura refletir não só a atual dinâmica desta vertente do setor da construção, mas também o muito que poderemos esperar no futuro próximo em termos de reabilitação de estruturas de/com estruturas de madeira.

Alfredo Dias

Professor Auxiliar, Universidade de Coimbra

Se quiser colocar alguma questão, envie-me um email para alfgdias@dec.uc.pt

Newsletter Construção Magazine

Receba gratuitamente no seu email todas as novidades e eventos sobre Engenharia Civil.