Reabilitação do Mosteiro de Tibães custa 249 mil euros e preserva espólio

A empreitada de reabilitação das coberturas e tratamento das fachadas da capela-mor da Igreja do Mosteiro de Tibães, em Braga, vai custar 249 mil euros e deverá estar concluída no início de 2023.

Em comunicado, a Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) acrescentou que a obra na cobertura da igreja prevê uma “forte melhoria no seu desempenho técnico, aumentando significativamente a sua capacidade para uma mais eficaz condução e escoamento das águas pluviais”.

“Esta situação vai permitir assegurar a preservação do espólio existente no interior da igreja, garantindo-lhe as condições ambientais mais adequadas”, sublinhou.

Segundo a DRCN, a operação visa, além da intervenção física na estrutura construtiva da igreja, a proteção do espólio artístico existente no seu interior, “património único de valor incomensurável, já intervencionado e atualmente em risco de perda, por condições ambientais inadequadas à sua preservação”.

“Esta ação pretende a recuperação das coberturas da igreja com revestimento cerâmico e compreende a revisão de toda a armação dos telhados existente em madeira, a sua limpeza geral e proteção, substituição de peças em mau estado de conservação, revestimento de toda a área coberta com forro ventilado de madeira de pinho tratado e substituição de toda a telha existente por telhas novas de canudo”, refere ainda o comunicado.

O Mosteiro de Tibães está classificado como Imóvel de Interesse Público desde 1944 e aguarda a reclassificação como Monumento Nacional.

Desde 1986, data da sua aquisição pelo Estado Português, que o imóvel foi sendo recuperado e reabilitado, dado o “profundo estado de degradação” em que se encontrava.

Newsletter Construção Magazine

Receba quinzenalmente, de forma gratuita, todas as novidades e eventos sobre Engenharia Civil.


Ao subscrever a newsletter noticiosa, está também a aceitar receber um máximo de 6 newsletters publicitárias por ano. Esta é a forma de financiarmos este serviço.