Metodologias de inspecção e ensaios para diagnóstico da corrosão de armaduras de estruturas de betão armado

A corrosão das armaduras, principal causa de deterioração das estruturas de betão armado e pré-esforçado, acarreta custos diretos e indiretos muito elevados. Segundo a CONREPNET, metade do orçamento anual da Europa é gasto na reabilitação e reparação das estruturas existentes, pelo que interessa avaliar, também, o desempenho das intervenções.

O estudo efetuado concluiu que os desempenhos das reparações analisadas são dececionantes:

  • 20% falharam em 5 anos;
  • 55% falharam em 10 anos; e
  • 90% falharam em 25 anos.

O controlo dos mecanismos de deterioração das estruturas é, pois, essencial para a satisfação das exigências de durabilidade, de segurança e de funcionalidade, desde logo da fase da conceção.

Na fase de projeto deverá ser elaborado o programa de manutenção/conservação da construção, onde devem constar a periodicidade das inspeções, quer as de rotina, quer as principais, os tipos e as quantidades dos ensaios a realizar, as medidas corretivas e preventivas a implementar, quando se verificarem certos parâmetros previstos, bem como os prazos para a substituição dos diversos componentes, quer os estruturais, quer os não estruturais.

No artigo, descrevem-se, metodologias de inspeção e ensaios em que se articulam diferentes técnicas de diagnóstico, simples, ou mais sofisticadas, que permitem a avaliar o estado de conservação das estruturas de betão de armado afetadas por corrosão das armaduras, focando-se, também, a importância da qualificação dos agentes envolvidos.

Carlos Mesquita

Engenheiro Civil / Diretor Técnico

Se quiser colocar alguma questão, envie-me um email para cgmesquita@oz-diagnostico.pt

Newsletter Construção Magazine

Receba quinzenalmente, de forma gratuita, todas as novidades e eventos sobre Engenharia Civil.


Ao subscrever a newsletter noticiosa, está também a aceitar receber um máximo de 6 newsletters publicitárias por ano. Esta é a forma de financiarmos este serviço.