Implementação BIM em organização para reabilitação urbana

Os atuais desafios da indústria da construção e das infraestruturas têm incentivado as empresas a focar os seus investimentos em ferramentas e metodologias inovadoras, que as permitam enfrentar um mercado globalizado e mais competitivo, novas regras ambientais, maior exigência em termos de eficiência, qualidade e otimização de custos. Neste contexto, a digitalização representa uma oportunidade única para reagir aos novos desafios.

Numa perspetiva económica, diversos estudos estimam que a oportunidade financeira para a digitalização dos processos de engenharia, construção e operação situa-se entre 10 % e 20 % das despesas totais de capital num empreendimento de construção. Por outro lado, verifica-se que o investimento em software e tecnologia para construção representaram cerca de 10 mil milhões de euros entre os anos de 2011 e 2017, o que mostra a força e a necessidade das novas ferramentas digitais para as empresas de construção.

No caso específico do Building Information Modelling (BIM), existem relatórios que preveem que a adoção ampla do BIM venha a permitir economias da ordem dos 15 % a 25 % no mercado global de infraestruturas até 2025.  Ou seja, a título de exemplo e aplicando o limite inferior das percentagens referidas, uma melhoria de eficiência de 10 % no projeto e obra, permitiria gerar em Portugal economias de cerca de 1000 milhões de euros.

Artigo em co-autoria com Juliana Mizumoto (CERIS/Instituto Superior Técnico)

António Aguiar Costa

Professor no IST

Se quiser colocar alguma questão, envie-me um email para info@construcaomagazine.pt

Newsletter Construção Magazine

Receba quinzenalmente, de forma gratuita, todas as novidades e eventos sobre Engenharia Civil.


Ao subscrever a newsletter noticiosa, está também a aceitar receber um máximo de 6 newsletters publicitárias por ano. Esta é a forma de financiarmos este serviço.