A seleção e controlo de qualidade dos materiais na construção em taipa

Ensaio de identificação dinâmica de uma parede de taipa

A construção em taipa tem atraído bastante atenção nos últimos anos devido à sua elevada sustentabilidade. Contudo, não é um material normalizado, pelo que a sua utilização em Portugal precisa de ser suportada pela normalização internacional disponível. Este artigo apresenta a abordagem geral considerada nestes documentos para selecionar e avaliar a adequabilidade dos solos para construir em taipa, e discute a necessidade de controlo de qualidade deste material.

A terra é um material disponível em praticamente todo lado, que possui uma energia incorporada bastante reduzida. A universalidade da construção em terra demonstra-se pelas diversas técnicas construtivas existentes, de entre as quais se destacam a alvenaria de adobe e a taipa como as mais conhecidas. A taipa é uma técnica construtiva milenar com forte presença na Península Ibérica, e consiste na compactação de camadas de terra húmida no interior de uma cofragem para erguer paredes. (...)

A sustentabilidade da construção em taipa deve-se, em parte, ao facto de o solo local constituir a matéria-prima principal do material final. Contudo, o solo é um material diverso e com grande variabilidade em termos de características, pelo que, em qualquer projeto de taipa, torna-se necessário perceber se o solo local é adequado para construir em taipa e se a taipa produzida apresenta o desempenho exigido. Este artigo pretende esclarecer estes aspetos, alertando os donos de obra, projetistas e construtores para esta necessidade. (...)

Rui A. Silva, Daniel V. Oliveira, Tiago Miranda e Benjamim Pereira, Universidade do Minho

Artigo completo na Construção Magazine nº105 set/out 2021, dedicada ao tema 'Construção em terra'

Newsletter Construção Magazine

Receba quinzenalmente, de forma gratuita, todas as novidades e eventos sobre Engenharia Civil.


Ao subscrever a newsletter noticiosa, está também a aceitar receber um máximo de 12 newsletters publicitárias por ano. Esta é a forma de financiarmos este serviço.