Utilização de resíduos na construção de estradas pode melhorar performance

A Diretiva Quadro dos Resíduos estabelece a necessidade de promover a reutilização e a reciclagem em alternativa à deposição em aterro e à incineração. Um dos caminhos para cumprir este desígnio poderá ser a aplicação destes materiais na rede viária europeia. Todos os anos, são construídos 4,7 milhões de quilómetros de estrada.

Os resíduos já são utilizados na construção de estradas. O estudo “Harvesting the unexplored potential of European waste materials for road construction” sugere, não obstante, que o input de materiais reciclados pode ser aumentado, com os consequentes benefícios ambientais e económicos. Os investigadores aferiram a usabilidade de determinados materiais como substitutos da matéria-prima que habitualmente serve de base à construção de estradas. Os resíduos estudados, que incluem vidro, asfalto, betão, madeira e plásticos, foram considerados substitutos apropriados porque demonstraram uma performance comparável aos materiais tradicionais que estão disponíveis em grandes quantidades. Além disso, não existem aplicações alternativas de valor acrescentado para estes materiais, e é demasiado caro proceder à deposição através de métodos como a incineração. Uma parte da análise também tem em conta diferentes fontes para os materiais, como os resíduos de construção e demolição e os veículos em fim de vida.

Por outro lado, os investigadores concluíram que os produtos analisados apresentam igual ou até melhor performance do que os de uso corrente. Os exemplos de melhoria incluem o aumento da drenagem proporcionada pelo uso de pneus em fim de vida e a maior rigidez e resistência ao afundamento verificada nas misturas cerâmicas. Existe, igualmente, potencial para redução de custos. Um caso nos EUA demonstrou poupanças de 51 a 70 por cento com o uso de pavimento de asfalto reciclado.

Os dados atuais sugerem que cerca de 17 por cento do materiais usado nas estradas europeias provém de pavimento de asfalto reciclado, mas este é apenas um dos muitos materiais com potencial de uso. Se mais 33 por cento das misturas usadas nas estradas proviessem de materiais reciclados, cerca de 16 por cento da quantidade de resíduos disponível na Europa seria reciclada em estradas, sugere o estudo. Num potencial cenário futuro, os investigadores estimam que metade do asfalto usado na construção de estradas europeias poderia provir de materiais reciclados.

Os investigadores consideraram quatro hipotéticas estradas construídas com diferentes combinações de resíduos. Cada um dos cenários apresentou um considerável decréscimo no custo, nas emissões de gases com efeito de estufa e no uso de energia. Num dos cenários, o custo dos materiais reduziu em 31,4 por cento, a energia não renovável em 76,1 por cento e a emissão de gases com efeito de estufa sofreu uma redução de 860 por cento.

Apesar dos resultados promissores, os investigadores não deixam de lembrar que o uso de resíduos é limitado por standards nacionais, sendo que as taxas de reciclagem variam consoante o país e há materiais cujo uso é permitido em alguns países mas não em outros.

Mais informação: http://ec.europa.eu/environment/integration/research/newsalert/pdf/waste_materials_underused_resource_construction_europe_roads_485na2_en.pdf

Newsletter Construção Magazine

Receba gratuitamente no seu email todas as novidades e eventos sobre Engenharia Civil.